Blog

Aluno 04/06/2018 12:41 enem.estuda.com

Alunos que não fazem nada dentro e fora da sala de aula. Qual é a solução?

O que acontece para um aluno estar presente apenas "de corpo" em sala de aula? Quais são as causas desta situação? Confira mais sobre o assunto no artigo a seguir!

Durante as aulas, alguns alunos conversam demais, brincam com os aparelhos celulares e chegam até a dormir dentro da sala de aula. Outros, apesar de não perturbarem, são capazes de ficarem olhando para o nada durante as explicações. É como se não estivessem ali.

Diversas são as formas de manifestação do desinteresse do aluno em relação aos estudos. Mas o que fazer quando se está incumbido da árdua tarefa de prender-lhes a atenção para transmitir determinado conhecimento? O que fazer com alunos que não fazem nada?

Basta continuar lendo este artigo que vamos analisar mais profundamente essa questão e sugerir algumas possíveis soluções. Confira!

Responsabilidade do professor?

Impossível falar sobre o assunto sem problematizar essa questão. O professor é o primeiro que precisa ter a consciência de que essa responsabilidade não é apenas dele. Se o docente não tem isso em mente, é certo que acabará sobrecarregado e um tanto frustrado.

O sistema de ensino brasileiro, seja ele particular ou público, possui falhas gravíssimas desde a sua raiz, ainda que essas falhas sejam mais acentuadas na rede pública. De forma muito resumida, podemos elencar como principais problemas:

  • O trabalho do professor é muito pouco valorizado;
  • Os alunos são privados de sua autonomia desde as séries iniciais;
  • Os estudantes, na maior parte das vezes, vêm de famílias mal estruturadas, pessoas que também não tiveram acesso a uma boa educação e que, por isso, não conhecem o valor de estimular leitura desde os primeiros anos de vida da criança.

Sendo assim, é bom saber que o bom desempenho dos alunos é papel da sociedade como um todo. A equipe escolar, junto com o aluno, sua família e, principalmente o governo, que é encarregado de gerir o dinheiro público, são responsáveis pela educação em nosso país.

Motivos pelos quais eles perdem o interesse

É claro que, para lidar com o problema, é preciso, pelo menos, vislumbrar quais são as suas causas. Pelo que já foi dito, é possível perceber que os motivos que levam os alunos a não estudarem podem ser inúmeros.

As causas podem variar a depender da idade, gênero, classe social ou até mesmo de acordo com as particularidades de cada indivíduo. Mas é fácil identificar os motivos mais comuns. Veja:

Bullying

Em crianças muito novas, o desinteresse não é muito comum, já que tudo é uma novidade muito atrativa. Nesses casos, é bom estar atento aos relacionamentos que estão sendo construídos dentro da sala de aula.

Entre os jovens, a prática do bullying torna-se muito comum. Isso pode fazer com que alguns alunos comecem a ter apatia em relação aos estudos. É importante saber que, nesses casos, o professor pode e deve intervir e ajudar.

Falta de estímulo dentro de casa

Esse costuma ser o motivo que afeta, na maioria das vezes, a sala inteira e todas as turmas. É cultural:  geralmente as crianças são muito pouco estimuladas a lerem com os pais.

Logo, ao entrar na escola, o desempenho passa a ser uma cobrança dentro de casa, o que faz com que o ato de aprender passe ser chato, cansativo e até angustiante.

Alguma necessidade especial

É importante lembrar que o professor pode ser o primeiro a notar alguma necessidade especial de algum aluno. Mesmo que seja um simples problema de vista, alguma virose ou até mesmo uma depressão. As dificuldades apresentadas pelos alunos podem dizer muito sobre eles.

O que fazer com os alunos que não fazem nada?

Diante de tudo que foi apresentado, você deve estar se perguntando: quais seriam as possíveis soluções? Existem algumas práticas que podem amenizar bastante o problema. Veja quais são:

Construa um relacionamento com a sua turma

É essencial que o relacionamento do professor para com os alunos não seja de apatia e estranhamento.

Ao criar uma espécie de amizade, não só é possível ter empatia com eles, o que ajuda bastante a evitar as conversas paralelas, como também conhecer melhor cada um para perceber suas necessidades.

Converse com os pais

É fundamental que a equipe escolar tenha a família como a sua aliada. Isso porque, às vezes, conversar com os pais pode ajudar muito em todo o processo. Tanto o professor passa a saber o que pode estar acontecendo com o estudante, como os seus pais podem estar mais conscientes do aprendizado dele.

Experimente novas metodologias

Muitos não gostam mas é essencial saber que, muitas vezes, o problema pode estar na metodologia que o professor usa na sala de aula. Experimente outras, torne suas aulas ainda mais didáticas e interativas. Isso, com certeza, surtirá bons resultados.

Outra coisa que pode estimular muito os alunos são as competições, trabalhos em grupo, provas orais e sabatinas. Os jovens costumam ser muito dinâmicos e gostam de participar quando a atividade exige criatividade, interação e, principalmente, quando ela é desafiadora.

Esperamos ter podido lhe ajudar a refletir sobre a sua prática docente, contribuindo para a melhoria do seu trabalho na sala de aula e, como consequência, do desempenho dos seus alunos.


Tenho interesse

Quer saber mais sobre os produtos e soluções do Grupo Estuda?
Nós iremos entrar em contato com você.

Logomarca

© Grupo Estuda LTDA
22.951.899/0001-60

Estuda.com

Plataforma educacional de avaliação e gestão do conhecimento.

Conecte-se